28 de ago de 2008

Perdida..

Perdida. Desamparo. Desilusão. Mágoa. Dor. Desespero. Solidão. Raiva. Ódio. Foi esta mistura de sentimentos que se fez no meu peito. Pior: no meu peito fez morada. Eu sabia, eu sei que forças negativas que se instalam em nosso organismo manifestam-se, mais cedo ou mais tarde, em doenças físicas.
Senti tudo isso pq nós fomos para lá, em primeiro lugar, pq teria trabalho para os dois e João estaria protegido como estrangeiro ilegal.
Quanto a parte financeira, não haveria problema, pois ofereceram a mim, o salário dele, para que eu não tomasse nenhuma atitude, como a de deixá-los a ver navios.
Mas, e o resto???
Talvez tenham previsto alguma reação adversa, pois senti que passei a ser observada com uma intensidade maior. Passei a ouvir comentários estranhos, daqueles, tipo se não estás prevenida, provoca esta reação: falas mal de todo mundo, acusa todo mundo, chama todos de incompetentes, ladrões, ou manda todo mundo à puta-que-pariu...
Mas, eu havia me imposto algumas condições: analisar os pqs, analisar a reação de algumas pessoas pós saida do João. Pior: havia tomado a decisão de vingança.
Para isso, teria que deixar alguns dias correrem e, além de tudo, cuidar principalmente do bem-estar do João.
... sei que eu devo esquecer o passado... mas preciso escrever um pouco, pois será aqui, definitivamente que eu encerro a história.. história que, em partes, ou alguns detalhes cheguei a contar para amigos e familiares...
-inté daqui a pouco!

Nenhum comentário: