8 de ago de 2008

Pai

Domingo é dia dos pais. Qdo a gente é criança, ele é nosso herói. Na adolescência, ele não sabe nada da vida. Qdo começamos a trabalhar, a andar pela estrada da vida, ele é um velho, desatualizado... Quando temos um filho, começamos a entender e comprender a sua figura. Quando ele se aposenta, ainda o achamos jovem para isso. Quando ele tem setenta anos, suas rugas, a curvatura da sua coluna, suas mãos calejadas, nos fazem pensar se nós fomos capazes de o amar e abraçar em todos os momentos, nós começamos a ver a sua longa caminhada e o resultado dela. Mas, entre lágrimas, concluimos que ainda é tempo de abraçar e dizer "te amo". Quando ele tem 84 anos, a gente tem vontade de o apertar e... pedimos ainda ter tempo de beber de seus conhecimentos, sua sabedoria. Ao meu pai, o meu amor, o meu carinho... E, acabo de ver que, se aos 84 anos eu chegar, serei um tanto teimosa e rabugenta como ele, hahahahahaha

Nenhum comentário: