24 de nov de 2008

Ser ou não ser...

Sexta-feira, qdo cheguei para a minha consulta mensal, uma moça estranha abre a porta... Devo ter expressado um ponto de interrogação visível, e devo ter mostrado um leve desagrado, uma leve desconfiança por não encontrar a Margô. Devia estar escrito na minha cara que eu estava pensando estar entrando no lugar errado... hahahaha...
Coitada! Ela nem se apresentou. Perguntou o que eu desejava... hehehe
A doutora estava atendendo. E a moça foi logo iniciando conversa.
Há um ano estou consultando com a doutora Diana. A Margô falava sobre o tempo e algumas coisas leves. Nunca falou sobre sua vida, sua familia. Eu nunca soube nada sobre ela, assim como ela nada ficou sabendo sobre euzinha... Em certos momentos, o silêncio reinava. E, eu não estranhava. Sempre preferi conversar com meus botões ou ficar perdida entre mil e um pensamentos. Sempre considerei a Margô uma mulher bonita, bem vestida, elegante, centrada, discreta, correta.
A nova moça não. Depois eu fiquei sabendo que seu nome é Sandra. Já foi logo contando que moram sós, ela e a mãe. A mãe é aposentada, tem 67 anos e ela tem 42 anos. Compraram um apartamento do PAR, pois pagavam aluguel. Ela adora animais. Tanto que vai fazer vestibular para Veterinária. Tem, dentro do apto uma cachorrinha, um aquário com alguns peixes. Cada peixe tem um nome. Contou diversas histórias sobre os peixes, como conhecê-los, quais podem ser colocados no mesmo aquário sem que haver brigas entre eles. Contou como conversam com os peixes e a cachorra como se estivessem falando com gente como a gente...
E eu cá analisando: ora vejam o que a solidão faz com as pessoas ou o que a carência pode produzir, ou ... essa mulher é louca... fala pelos poros...
Já estava a considerá-la anormal. hahaha
Depois, ao entrar no consultório, fiquei sabendo que a Margô teve um surto de depressão. Que seu silêncio, a distância que colocava entre as pessoas e ela, sua centralidade... eram sinais de depressão...
Ó céus, ó vida... Margô para mim era normal. A Sandra não é normal. Mas, afinal, o que é ser normal? Quem é normal?
Ser ou não ser.. normal? A Margô é normal. A Sandra é normal... Como dizem - Cada um no seu quadrado. Só que os quadrados deveriam se encaixar, para a gente partilhar a normalidade nossa com o outro... hahahahahaha....

Nenhum comentário: