28 de jun de 2010

Vida - Vida

Maria, como toda mulher, foi uma mulher forte. Sempre foi. Ela não conhecia a expressão "deixa para depois". Estudar? Talvez até a quinta série do antigo Ensino Primário. Talvez tenha iniciado a cursar, naquela época, o Ginásio. Nunca foi de muitas leituras. Não tinha tempo. Mas, tinha o ensinamento de seus pais,o ensinamento da vida. Tinha a fórmula certa para cada situação. Parece até que ela cursou o ensino superior de Economia, pois,com sua força foi capaz de criar dois filhos, sem que lhes faltasse o que vestir e comer,nem condições para estudar. Com sua força foi capaz de ajudar o marido a comprar um caminhão, construir a casa, poupar um dinheirinho. Maria não tinha tempo para pensar em si, nas suas necessidades, no seu prazer. Filhos criados, casa construida, poupança gordinha... Maria talvez tenha pensado que era hora de cuidar da sua pessoa, de construir um sonho só seu. E Maria sentiu dores. E Maria caiu enferma. E Maria,em um ano, perdeu a cor, a voz, a vida.
E José, antes de completar um ano da partida de Maria, trouxe para casa uma outra mulher. Uma mulher que passou a viver, saltitante, prazeirozamente, na casa que Maria construiu, usando as roupas que eram de Maria, usando o dinheiro da poupança para viajar com José.
------ Maria, Maria, Maria, todo dia é teu dia
Sonhar, construir, guardar são verbos que rendem bens
Mas não esqueça que o hoje não volta
Larga a roupa na beira do tanque
Vá sentir o sol na beira do mar...

3 comentários:

welze disse...

Leci querida, que coisa linda de se ler. adorei. Diga aí, no jogo Brsil X Portugal foi mais fácil o empate, assim não teve um com peninha do outro não é. Hoje é outra história. até depois.,

pensandoemfamilia disse...

Oi leci

Muitas vezes, vive-se pensando no futuro e o presente vira passado sem usufruirmos devidamente a dádiva da vida.
bjs

Vida_Desafios e Ilusões disse...

Mãe... mas tu escreve, hein!