30 de jun de 2010

Maria B.

Maria B eu encontrei há vinte e poucos anos atrás. Viúva, ainda jovem e doente, vivendo da pensão do marido e do trabalho de seu filho mais velho e do filho adolescente. Além deles, mais dois filhos, ainda crianças, de dez e nove anos. Maria B vivia em uma casa quase caindo, e nos dias de inverno, a casa parecia uma colcha de retalhos, cheia de pedaços de papelão cobrindo as frestas. Tinha ela galinhas e porcos,que não raramente eram encontrados dentro de casa.
Maria B ganhava muita roupa usada para ela e seus filhos. Aquelas que não serviam, ela não passava adiante - jogava fora, simplesmente, no valetão ao lado da casa. Maria B gostava de receber ajuda de outras pessoas. Para ela isso era o suficiente. Por isso, não passou de dois anos seu convivio com nosso grupo, já que nele,Maria B era incentivada a aprender a fazer tricô, crochê, costurar. No grupo, Maria B, junto com as demais mulheres, aprendiam como manter a higiene de sua casa e alimentos, a cultivar uma horta. E, dos ensinamentos passava-se para a prática, onde ganhava também o material. Maria B não gostou nada da coisa, pois que ela vivia do jeito que sua mãe vivera e pq modificar e até levar seus filhos a procura de algo melhor?? Lá pelas tantas,Maria B abandonou o grupo. Procurou outro, onde nada lhe cobravam, só lhe davam alimentos, roupas e remédios. Assim era bom para Maria B. E, como este grupo ficava no outro bairro, foi mais fácil pegar suas trouxas, animais e filhos, e irem embora para um lugar todinho igual ao que viviam - mas ali, ela viveria como achava que deveria - recebendo doações...
???????? "Bem aventurados os que padecem fome e frio,pq herdarão o Reino dos Céus"??????????

Um comentário:

welze disse...

infelizmente existem milhares e milhares de Marias em toda a parte. pessoas que quando são cobradas para que se melhorem e aos seus, mudam de lugar. mudam de casa, mas não de vida. Que pena. concordo com os ????????. serão mesmo bem aventurados? sei não, sei não. beijos querida