7 de jun de 2010

Vida Simples - Amigos

Ora pois! Esta semana a Mila nos incentiva a falar sobre Amigos,através da blogagem coletiva. É aquele tipo de assunto que parece, mas não é fácil. Quem são nossos amigos? Aqueles que nos dizem sim, que nos dão o amém para tudo o que fazemos? Claro que não! Aliás,acho que esta raça está extinta,esta que é do tipo que sempre nos diz amém. Ainda bem. Se existe alguém assim perto de ti, desconfia! É um mero puxa-saco, e vá logo perguntando: que queres mesmo conseguir comigo? É que algum favor esta pessoa vai te pedir, ou vai te enrredar em alguma trama por aí... ehehe! Acho que para cada época de nossa vida nós temos vários companheiros, amigos. Não, estas amizades não acabam não. Apenas estão distantes. E provocam uma saudade! Cá estava a me perguntar por onde andam os meus amiguinhos de infância.... Alguns eu ainda encontro onde moro, todos já com seus netinhos, todos já na idade da sabedoria! Eita amigos bons: companhia para correr na rua, subir em árvores, brincar de bonecas, amarelinha, bolinhas de gude, trocar figurinhas e gibis, correr até a escola, repartir a merenda... Por onde andam meus amigos de adolescência? Alguns eram os mesmos da infância e mais alguns conquistados na escola. Saudades da troca de revistas de novelas, troca de livros de romance (lembram Sabrina, Bianca, Júlia?) Saudades das trocas de segredinhos, do preenchimentos dos tais questionários... Onde andam? Alguns ainda encontro e trocamos "figurinhas". Outros estão distantes... E da época da Escola Normal???? Puxa,a gente passava o dia inteiro na escola! As meninas estão em cidades distantes. Algumas fora do Estado. Outras, fora do País. Saudades das festas juninas, das festinhas de aniversários, das "brincadeiras" (hoje seriam o q? festas onde se dança?), das risadas e lágrimas com a descoberta do amor. Então todo mundo toma o seu rumo.
E a gente vai habitar em um novo espaço - o ambiente de trabalho. Eta lugar dificil de viver! Passamos nele a maior parte do dia e as criaturas inistem em se tratarem apenas como colegas, sem laço nenhum. Não consegui nunca fazer isto. Sempre há uma guerra entre as criaturas que trabalham juntas, mas, até que me provem ao contrário, continuo apostanto sempre na existencia de algo mais para nos manter no mesmo ambiente. Claro, há que se dar a mão à palmatória: existem pessoinhas que estão a fim mesmo é de estar no topo, ao lado do poderoso chefão e para isso, vão matando tudo à sua volta! Mas, continuo apostando na amizade...
Tenho cá uma amiga que há 20 anos caminha comigo aqui na empresa. Não tem como expor aqui o bem que ela me faz. E a gente de vez em quando entra em atrito... Entre nós não há segredos nem meias palavras. A gente pode cantar: "eu sei da sua vida, dos seus desencantos..." Tenho que encontrar uma maneira de continuar a atazanar a criatura até depois da aposentadoria! kkkkkkkk
E, com o advento da internet, ainda temos a oportunidade de conhecer novas pessoas e,mesmo a distancia, podemos cultivar novas amizades. Se através da internet encontrei a minha cara metade, pq não novas amigas?????????

6 comentários:

Caren disse...

Oi Leci, assim não vale! tu me deixando emocionada em plena segunda de manhã... Alguns anos atrás, antes de eu ter meu meu primeiro filho, eu trabalhava em uma grande rede de farmácias e tinha algumas colegas com o mesmo cargo e nível cultural e econômico semelhante. Uma delas era minha amiga dos tempos de pensionato em Porto Alegre. Almoçavamos juntas todos os dias e ainda nos víamos nos finais de semana, pois os maridos ficaram amigos também. Quando ganhei o bebê, optei por ficar um tempo em casa e depois por trabalhar mais perto...com algumas das colegas falo ocasionalmente, e com essa amiga especial não falo tanto quanto gostaria pois o tempo é curto, mas penso nela sempre, e ela em mim com certeza... É uma amizade para sempre! (e ela vive me convidando para trabalhar na empresa atual dela... talvez um dia eu aceite!)
bjks

Marliborges disse...

Leci, ai que saudades dos questionários do amor, lembra?? rsrs. Como a gente adorava. Obrigada pela lembrança. Amigo també é pra isso, rsrs! Bjssssssss

pensandoemfamilia disse...

Olá Leci

Amigos chegam e se vão, mas as marcas ficam dentro de nós. Alguns conseguimos manter a nossa volta e nos enchem de afetos que podem se expandir através de novos amigos.
Aqui vamos tecendo nossos fios pela NET>
bjs

Lúcia Soares disse...

Leci, é fato que amigo mesmo, aquele de todas as horas, aquele com o qual se pode contar mais nos maus que nos bons momentos, é peça rara. Mas quando os encontramos são para a vida toda.
Tenho 2 amigas, (mas elas não o são, entre si) com as quais convivo há mais de 40 anos. Não é pouca coisa, né?
Mas um traço nosso é que não falamos de intimidades, de problemas de filhos, de maridos. Nossas conversas são só sobre amenidades, coisas boas, encontramo-nos para nos aliviar, não para contar nossos problemas. Acho muito interessante isso. Não que não saibamos umas das outras, mas sabemos o básico, o necessa´rio. E assim vivemos muito bem. rsrsr
Beijos!

LuSouza Brito disse...

Através de seus relatos, conhecendo um pouco mais! Bons amigos deixam saudade, mesmo porque na maioria das vezes eles se vão...ou nos partimos, a vida se desencontra, mas o carinho jamais.
Beijos

Iêda Klein disse...

Oi, Leci.
Adorei seu texto e concordo com tudo. E também não suporto a frieza dos "colegas" com os quais convivemos anos no trabalho.Acho que os ambientes necessários deveriam ser como uma grande família.
Que saudade dos cadernos de poesias, dos questionários amorosos, dos testes da Revista Fotonovela e dos galãs...Da "Rainha da Primavera do curso primário, das gincanas do ginásio, do coral do curso normal...
Ah! Saudade...
Obrigada amiga!
Beijos,Iêda