13 de out de 2008

Quando Deus..

"Quando Deus te desenhou, Ele estava namorando... na beira da praia..."
Deu branco total. Sei lá se continuo minha análise. Análise busca o passado. No passado encontram-se nossas decisões, tomadas de alguns caminhos, desistência de outros. Passado traz sorrisos, também lágrimas. Mas não traz dores. Pois com ele veio o aprendizado, resultado de amores....
Passado pode trazer lágrimas. Mas para outros, para quem ler.
Então deixa assim - vou cantar: "Eu como sim.. e estou vivendo..."
Já cheguei a muitas conclusões. Devo optar por uma. Ou não deixar que elas se acumulem. Eliminar as de outrora. Assumir o presente. Comi sim: para armazenar o que eu não poderia ter num período próximo; pq fui uma adolescente cheia de medos, de complexos sem nexo, para não ser "envolvida pelo pecado"; pq tive um namorado que partiu para outra vida; pq me apaixonei e não ouvi avisos nenhum sobre qualquer consequência; para me proteger de possíveis assédios; para me defender dos "lobos-maus"; para não chamar a atenção; pq nunca aprendi a gostar de mim; para me punir por ter que fazer minha filha ser forte, dizendo - seja homem já que teu pai não foi...
Quando a idade da serenidade começou a chegar, voltei ao normal fisicamente, para poder enfrentar as consequências de abandonar naquela época meu amigo inseparável: o cigarro...
Mesmo assim, até que não fiquei "tão espaçosa", pois foi nesta época que encontrei o João.
Hoje, talvez eu compense a culpa de ver o João sem trabalho, comendo meus doces. É esta análise que deve valer. Esta análise, mais a culpa de, só com meu salário, não poder fazer muita coisa - tal como viajar pelo Brasil, voltar à Portugal... E aí, minha analista, minha pisiquiatra, minha pisicóloga, é esta a verdade?

Nenhum comentário: