22 de jun de 2011

Pensei

Lá em casa somos quatro elementos: eu, João, Tareco e Piruças. Tres seres masculinos e um feminino. Estou sentindo falta de uma companheira, para criar e dividir os "frufus", para usar e abusar dos tons de rosa, para fazer "charminho", "beicinho". Estou sentindo falta de uma companheira para dividir as dores de cabeça, as "tpms", para manter o andar cadenciado, o rebolado. Estou sentindo falta de uma companheira, para, em algumas horas, cheias de frescuras, brigar por um espaço no sofá.
Sábado pela manhã, ganhamos um presente. Fomos buscar. Passamos no doutor para que o presente fosse devidamente registrado, pesado, medido, vacinado. Chegando em casa, foi uma luta para os meninos aceitarem o presente que ganhamos. Sei lá se devido a nova residência ou se devido as vacinas, a "cã", de 45 e cinco dias, dormiu o sábado inteirinho... e o Piruças montou guarda ao lado - lambendo, afofando, e não deixando o Tareco chegar perto. Parecia uma mãezona!
Lá pelas 4 e meia da manhã de domingo, a cãzinha acordou lépida e faceira - cheia de energia, começou a correr pela casa, a querer brincar com a cola do Piruças... aí, a coisa mudou de figura: o Piruças subiu para cima do sofá, só saiu para fazer suas necessidades e passou o dia sem comer nada. Fugia da "cã", como o diabo da cruz! E o Tareco aproveitou a situação e começou a atacar a cãzinha... aí, aí...
No final do domingo chegou-se a conclusão que não haveria acerto entre os tres. Tivemos que devolver o presente.....
É, pensei ter encontrado a minha companheira.
Pensei ter encontrato o "Quinto elemento". Pensei. Só pensei!

2 comentários:

Lúcia Soares disse...

Ai, Leci. Três cães dentro de casa, dá rivalidade, na certa! Mas tudo é questão de gostar mesmo dos bichinhos, tem gente que cria muitos mais.
Criei minhas cadelas no quintal, iam pra dentro de casa, aquecer-se nos pés do marido, de vez em quando.
Quando era frio, o cantinho era preparado, mudava de lugar, para um mais quente, ao abrigo de vento.
Até pano nas gretas da porta eram colocados (ou jornal), para não entrar friagem nenhuma.
Tive duas apenas, em épocas diferentes. Uma viveu 11 anos, a outra viveu 10.
Agora optamos por não mais ter animal em casa, só sobrou um periquito, lindo, que "morro" de dó de ver na gaiola. Mas como diz marido, não sabem mais viver na natureza.
Beijo!

... disse...

Oi mãe.... seria essa falta uma falta mais humana? que tal uma amiga? uma ligação diária pra filhota aqui?!! (Só paga 0,25 pela tim!) Eu sei bem que não ter uma mulher por perto é difícil. Ainda mais pra nós que "crescemos" grudadas, cheias de cor de rosa, florais, passeios pelo calçadão, roupinhas novas.... Me liga, vai!!