18 de mar de 2011

Globalização. Internet

Sou como muitos e muitos: ao chegar ao trabalho, a primeira coisa que faço é ligar minha "máquina", ler minha correspondencia, ler as noticias. Em casa, tenho que disputar a máquina com meu amado e aí .... bom, não gosto da sensação de ter alguém a espera que eu largue o brinquedo prá vir brincar, ou penso que há algo mais interessante a fazer no meu jardim - então, quase não chego perto do computador. Se bem que, quando eu me aposentar, ou compramos mais um ou vamos disputar no tapa o computador! kkkkkk
Tô fugindo do assunto. Chego no trabalho e, quando vou ler as noticias, fico apavorada. Esta tal internet está me colocando lado a lado com todo tipo de tragédia. Fico de cabelo em pé lendo como as pessoas estão se matando por motivos tão pequenos, ou por motivos não descobertos!
Assassinato puro e simples, entre familiares, namorados..
Nossa familia está sem estrutura. Alguma coisa perdemos no caminho. Ficamos fracos e impotentes contra a avalanche de novos produtos, novas idéias e acabamos adotando novos valores. E estes valores estão nos tornando criaturas impiedosas.

Um comentário:

Tati disse...

Oi Leci, eu tenho dúvidas se as tragédias estão aumentando ou se a "indústria da notícia" é que está cada vez mais gananciosa.
Tenho fugido de notícias, sei o mínimo, me informo daquilo que pode fazer a diferença em minha vida: informações de política, mas não muita (senão a gente desacredita que é possível mudar), informação de trânsito e tempo, uma coisa ou outra de atualidades, cultura e tal. Não quero mais saber de histórias que não posso mudar, apenas me deprimem. Estas eu deletei, ou dei block! Rsrs
Foi o caminho que encontrei.
E sobre a disputa do computador, aqui em casa ocorre o mesmo. Mas agora que um quebrou estamos com um só, para Três. E o menor é o que mais pede! rsrs
Beijos.