11 de mar de 2011

Atravessando o Rio Grande do Sul-parte 4

Derrubadas até o estacionamento do Parque eram 15 km que foi feito em 50 minutos! Nestas duas fotos até que o caminho estava bonito, mas predominavam pedras e buracos. Porquê não tirei foto dos buracos e pedras? Uaí, assim eu posso dizer pro J quando ele reclamar: -não era tanto assim, benhê! Mas um caminho muito lindo, pelos verdes, por sua parte ainda virgem. Em certos trechos do caminho, pensei que o J ia abrir a porta e me deixar por ali, pois eu não tinha falado que não era asfaltado!
Ora pois, pensei que ele já tivesse se dado por conta que, asfaltada aqui, só as BRs, algumas RSs... e olha lá!
Depois de deixar o carro no estacionamento, tivemos que fazer este percurso, no meio da mata, por 300 metros. Disseram 300, mas para mim foram 600! Aqui, o cheiro da mata, o som das águas!
Olha eu "caçando" pedrinhas! Adoro carregar pedras.... hehehehe
São 1800 de quedas de águas. Não em altura. Em longitude... Som das águas. Assusta, mas ao mesmo tempo encanta. No inverno, o Rio Uruguai toma conta destas pedras todas. Sim, o Salto de Yucumã fica no Rio Uruguai. Na divisa do Rio Grande do Sul com a Argentina. As quedas de água ficam na Argentina. Entre nós e elas, o rio Uruguai.
A visitação ao salto do Yucumã, pelo lado Argentino, é feito com barcos. Olha lá um...

Um comentário:

chica disse...

Puxa, foi legal mesmo, mas muito cansativo pra um feriado só,não? Eu enjoo de andar de carro, faço o mínimo possível!rsrs beijos,chica e adorei!