31 de jul de 2009

Tempos estranhos.

José sai do trabalho com uma vontade danada de tomar uma cervejinha, lá no barzinho de sempre, perto de casa. Mesmo com frio. Estava a lhe apetecer, como diz o João. -Espero não encontrar o Adão. Aquele cara sempre me pede dinheiro emprestado quando me encontra. Pior é que aquela desgraça nunca paga! Entra no bar. Pede uma loirinha gelada. Olha para o fundo do bar. _Que porra,meu! Lá está o Adão. Espero que ele não me veja. Viu... ele me viu... aí...que faço eu? Está vindo para cá. Agora... seja o que Deus quiser! _José, meu amigo e camarada! (tosse, espirro, gemido) Puxa, home de Deus, tô com umas dores no corpo, uma febre... (tosse, espirro,gemido) Acho que vou para casa descansar. (mais tosse, espirros, gemidos). Mas antes quero te pagar. (tira do bolso alguns reais, começa a contar lentamente, manuseando cada nota - mais tosse,espirros,gemidos).. -Adão, não posso esperar. Preciso ir embora. Tchau. Não me deves nada. Estás perdoado! José sai correndo, cobrindo o rosto, esfregando as mãos.... O que pode o medo do agaumeneum fazer com as criaturas??

Lembranças amargas.

Lembro que falei com a Raquel e a Zeli sobre a maneira de ser,agir e falar de nosso pai. Falei, chorei. Disseram: te acalma. É a idade. Não faça caso. Não é bem assim.
Ora pois: a Raquel veio passar uma semana de suas férias de inverno com a vó. Ela nos deu folga. Ficou lá. Depois, veio a Zeli e ficou mais uma semana.
Quando a Zeli chegou, a Raquel foi lá para casa. Sentou. Começou a falar tudo o que tinha acontecido. Chorou! Choramos. Quando a Zeli foi embora, ela foi direto para Buenos Aires.
Liguei para lá. Fiquei sem saber nada.... Ela brinca, fala, ri, resmunga... Mas, o que sente, para nós, ela não conta. É fechada que nem uma ostra. Tem uma muralhava à sua volta. Espero que pelo menos com o Lusalém ela seja diferente!
Já decidi o seguinte: meu pai é assim só comigo e com a Raquel. Deve ser pq somos bicudos idênticos e bicudos não se beijam ou... ou... pq eu e a Raquel somos parte de uma história que não se encaixou dentro de suas leis - mãe solteira, filha de mãe solteira...

Convivência...

Ontem, Liz e eu estávamos saboreando um chazinho de poejo mais erva cidreira. Quentinho, para acabar com o frio e ajudar a previnir a gripe, A, B, C...qualquer uma! Depois de colocar água quente duas vezes na minha xícara, olhei para a Liz e lascei:
-Será que não dá para guardar esta erva toda para outro chá amanhã?
_Puxa, Leci, a convivência com seu Olegário está te deixando igual a ele!
Seu Olegário é meu pai....
Hoje pela manhã, sai da casa de meus pais mais cedo, pq a mãe não tinha que ir na fisioterapia. Como sempre, saio sem tomar café. Mas hoje deu tempo para chegar na padaria - comprei pão e um pote de nata. Cheguei no escritório e mostrei para a Liz. E ela:
_Criatura! Eu também trouxe pão. Vamos ter que repartir com as meninas!
_Não mesmo, digo eu, sabes como eu gosto de pão! Nada de repartir!
KKKKKKKKKK..... convivência com seu Olegário????

28 de jul de 2009

Aos poucos...

Diante da situação em que vivemos, com um pouco mais de conversa, acabamos de contratar a Paty para trabalhar o dia inteiro, lá com a mãe. Cada um dos seus filhotes vai colaborar financeiramente. Assim, a Laine vai poder retomar aos seus afazeres.
Falta resolver os problemas das noites... Não sei como.... Mas,um noite sim, outra não... Isso vai acabar comigo. Tô ficando rabugenta e muito chorona....

Patrão safado!

Bolas,bem que ele podia ter me dado as manhãs de junho, que eu faltei! Mas, qual o que!!!!!!!! O dito descontou das minhas férias. Ainda devo para ele cinco dias e mais os minutos que estou chegando atrasada por estar ajudando minha mãe a vestir-se, para ir na Clínica!
Já sei: é por isso que eu sou pobre!

Quando eu envelhecer...

Quando eu envelhecer, quero estar sempre de bom humor. Quero sorrir, achar encanto em cada amanhecer. Agradecer pela vida, a cada entardecer. Brincar com todo mundo.
Não quero que ninguém more conosco. Mas quero que a Raquel construa para nós uma pequena casinha no fundo da sua. Não quero familia mobilizada para que nós dois possamos viver melhor, em caso de alguma doença. Contratem alguém. Usem das nossas aposentadorias. Afinal, para mim basta pão, café com leite, queijo e presunto. Algumas couves, tomates e cebola. Quem sabe um sopão? Para o João, será diferente: pão, vinho, batata frita, muito peixe....

Como enganar um pai.

Bom, acho que eu contei que no mes de junho, todas as manhãs eu fiquei em casa, pra ajudar minha mamãe e meu papai. Mas, como ainda trabalho, tive que acertar as pontas, pra poder voltar ao trabalho. No inicio meu pai não aceitava. Chegou a falar que eu não queria mais ficar lá. Para ele, eu e meus imãos somos obrigados a ficar por lá. Obrigação ou não, é assunto para outra postagem. Mas o caso é que precisamos então contratar uma menina para lá ficar, pelo menos, no inicio,no turno que eu ficava. Já foi dizendo para a Paty (ela é uma jovem senhora que mora ali perto) que não podia pagar muito, que não tinha dinheiro. Pensando bem, os dois ganhando um salário mínimo cada um, tendo uma despesa fixa de água, luz e telefone no valor de R$ 160,00 e , agora, pagando a Clínica de Fisioterapia R$ 200,00 por mês, mais remédios, etc e tal, é de chorar mesmo! Sei, ele pode usar sua poupança, que fez para usar nestes momentos... Mas, convença nosso moço de 86 anos a lançar mão de sua poupança! Então, para não criar atrito, conversei com a Paty e ela só cobrou a metade do valor do nosso moço e a outra metade, João e eu pagamos.... Até hoje, acredita ele ser viável alguém cobrar só aquele valor no mes, por meio turno trabalho: a quarta parte do salário mínimo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Ops! Até hoje, ninguém sabia disso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Não contem para ele!!!!!!!

Voltando...

Quinze dias de férias. Terminou. Acabou. Pena. Voltam agora as agonias de todo santo dia! E, claro, voltam as alegrias de todos os dias junto as meninas do trabalho. E, aqui vou registrar uma que acabou de acontecer!
Olha, eu acabo de confimar: rei morto, rei posto! É vero!
Na sala ao lado acabo de descobrir a Tiazinha e a Feiticeira! Pensei que as ditas estavam em outra, curtindo suas familias. Devem ter passado os títulos para a Marilaine e a Carla Daiane.
Pelo que entendi elas andam usando chicote escondidas atrás dos véus???????????? Cuma?
Batendo nos funcionários? Batendo no patrão? Sei lá. Terei que investigar isso!!!!!!!!!!!!!!

10 de jul de 2009

Tudo igual.

Não importa a idade. Dizem que homem não enxerga um palmo à frente do nariz. A não ser é claro que seja algo com belas pernas, bela bunda! Chego lá na casa de meus pais e ele já vem com a bronca: - Onde estão as capas de cobertas dos cães que eu lavei? Eu não tirei da corda e parece que nem a Laine, nem a Pati. Deve te sido tu. Onde estão? Eu não encontro! Não sei pq vcs costumam colocar as coisas fora do lugar! Patati-patatá, etc e tal....
Resmungou, resmungou, reclamou. Pior que entrei em pânico e não conseguia lembrar das ditas. Fui lá onde elas deveriam estar. Pasmem! Realmente, estavam fora do lugar, mais ou menos uns 15 cm do local pré-destinado! Se fôsse uma cobra, teria mordido! Até ele deu risada depois!
Tá bem, tá bem... se for homem que estiver lendo, vai dizer: - É por não enxergar que casamos com vcs! eh! eh! eh!
Outra coisa, lá na casa de meus pais, os cães têm cobertinhas sim, para poderem sobreviver aos dias frios.

Orkut

Briguei com meu orkut.... detonei o "kut-kut"... não tenho mais. Não quero.

2 de jul de 2009

Estranhos pensamentos - limpando a "casa".

Ainda continuamos às voltas com a nossa mamãe. Aos poucos vamos compreendendo o que lhe aconteceu. Aos poucos ela vai despertando e não aceitando depender de ajuda para tudo.
Eu brinco com ela, dizendo que graças a ela serei um mulher musculosa... ah! ah! Sou a única que pode dizer: "Eu tenho a força!"
Vai para lá, vem pra cá...organiza aqui e lá... só sei que parece que sou uma visita tanto na casa dos meus pais, como na minha casa. Parece que não tenho casa. Minha casa é a estrada - de lá para cá, de cá para lá. Pior que meu pai acha que esta situação é passageira - que logo,logo, nem ela, nem ele, dependerão de nós. Mesmo que fôsse passageira, estou cansada e muito...
Pior que ele não quer ver que daqui para frente eles não mais poderão viver sós, e, que daqui para frente, a mãe será depedente de alguém para tudo... Pior que tanto um como o outro diz que dali eles não saem.
Pior que talvez nenhum de nós está disposto a ir para lá e não poder se mexer pq a casa é do pai.
Eu não quero ir. Eu não vou. Será que estou sendo má filha????? ..... eu quero a minha casa!