8 de dez de 2010

Poesia

Envelhecer - Manuel Bastos Tigre
Entra pela velhice com cuidado,
Pé ante pé, sem provocar rumores
Que despertem lembranças do passado,
Sonhos de glória, ilusões de amores.
Do que tiveres no pomar plantado, Apanha os frutos e recolhe as flores Mas lavra ainda e planta o teu eirado Que outros virão colher quando te fores.
Não te seja a velhice enfermidade!
Alimenta no espírito a saúde!
Luta contra as tibiezas da vontade!
Que a neve caia! o teu ardor não mude

6 comentários:

Chica disse...

Que a neve caia,mas teu ardor não mude...
Lindo e esse verso é demais!!!beijos,chica

Maria Célia disse...

Oi Leci
Minha mãe procura agir assim, logicamente, respeitando os seus limites.
Bjos

Marli Borges disse...

Oiiiii Leci,
Lindo poema,
Concordo com o que ele diz. É por isso que sigo na velhice, lavrando e plantando meu eirado. Certamente alguém colherá. Bjssss

Lúcia Soares disse...

Lindo, Leci.
Saber envelhecer é uma arte.
A maioria das pessoas tem pena dos "pobres velhinhos" mas se esquecem que sempre plantamos o que colhemos.
E a mania que os idosos têm de se sentirem "coitadinhos" já é antiga.
Será que nosso cérebro se "imbeciliza" com o tempo? Só assim para ver que tantos idosos se acham injustiçados, prejudicados, por toda a gente, o tempo todo...
Credo, que Deus me ajude a ser uma velhinha consciente de que apenas o tempo passou, mas continuo quase a mesma...
Beijo!

Nilce disse...

Envelhecer não significa morrer aos poucos. A experiência é de muita valia e deve continuar a ser transmitida.
Lindas palavras.

Bjs no coração!

Nilce

Néia (Dulci) disse...

Leci adoro ler essas coisas relacionadas à melhor idade,assim já vou me preparando (estou em posição de largada rsrs) nada como uns bons conselhos não é mesmo?
Beijos