29 de jan de 2010

Da felicidade:

Quantas vezes a gente,
em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda a parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!!!
-Mario Quintana-

7 comentários:

silvia masc disse...

Obrigada por acompanhar o Longevidade, incrível a coincidência, foi exatamente esse poema do Quintana que eu coloquei hoje no Longevidade, bons presságios...rs
beijinho
silvia

VOVÓ CRISTINA disse...

É verdade Leci!!!
Precisamos estar sempre atentas, pois nem sempre temos uma segunda oportunidade para as coisas, não é mesmo?

Obrigada pela sua visita!

Não deixe de passar por lá, viu?
O que vale da vida são mesmo esses pequenos prazeres, até mesmo sentar e comer àquele delicioso pavê, rsrsrsrs, beijos.

Saltapocinhas disse...

Olá!
Deu uma voltinha por aqui e achei algumas afinidades contigo: gosto de viajar de carro, gosto de vinho (tinto e branco) e também falo sozinha...

:)

welze disse...

lindo demais, Quintana é sempre Quintana

Marliborges disse...

Querida, é um amor esse Quintana, de uma delicadeza ímpar e sempre verdadeiro. É bem assim, às vezes a gente procura tão longe, e uma só olhadinha ao nosso redor, resolveria...
beijo, ótimo post.

Renata Nogueira disse...

Quintana é demais!!!
Obrigada pela visita, volte sempre, hein!!
Beijão

Marco disse...

Quintana fez questão de nos mostrar que somos mesmo descuidados por natureza e o pior é que nem percebemos isso. Grande abraço.

Ps. Bom saber que está lendo a Lenda e concordo com vc, tem mesmo algumas semelhanças com a terra. rs